Tecnologia
10/2020

Afinal, o que é o Pix?

O Pix do Banco Central é o novo sistema de pagamentos instantâneo desenvolvido pela instituição, que promete revolucionar o setor financeiro, e começa a funcionar em Novembro. Descubra tudo o que precisa saber sobre ele neste artigo.

Assim com o DOC e a TED, o Pix é um sistema de pagamentos gerenciado pelo Banco Central. Ao contrário dos outros métodos que funcionam apenas no horário bancário, ele funcionará 24 horas por dia, todos os dias do ano e será processado em, no máximo, 10 segundos. Ou seja, totalmente instantâneo, como mandar uma mensagem no celular.

Será possível fazer pagamentos somente com o celular,  sem dinheiro em espécie, maquininha de cartão ou boleto bancário. Para qualquer pessoa ou empresa, basta ter uma conta em qualquer instituição financeira e cadastro Pix.

Não é preciso saber número da conta, nem qual o banco. Basta saber a chave Pix, que funciona como um endereço. Pode ser o celular, o CPF, CNPJ ou outro número que o recebedor cadastrou.

Junto com o pagamento poderá ser enviado um pequeno texto. Como por exemplo: “Está aqui a minha parte da janta de sábado.” Não teremos mais problemas de troco na hora de dividir a conta do churrasco com os amigos. :)


Como vai funcionar?

Praticamente todos os bancos e instituições de pagamento fornecerão o serviço. Você usará o próprio aplicativo do seu banco para fazer a transferência, que deverá ter a opção integrada nele.

Para ter o seu Pix, basta você cadastrar as suas chaves. Pessoas físicas poderão cadastrar até 5 chaves por conta bancária. Pessoas jurídicas poderão cadastrar até 20 chaves por conta, assim será possível utilizar chaves diferentes para cada tipo de recebimento, tornando mais fácil identificá-los, por exemplo.

Outra questão interessante que visa aumentar a competitividade no mercado, é que você poderá migrar sua chave para outro banco. Assim, não precisará avisar ninguém sobre a troca de conta, porque o endereço permanece o mesmo. 

Quem poderá aceitar?

Qualquer empresa ou pessoa com uma conta bancária ativa poderá aceitar. Inclusive, será possível gerar QR Codes para serem lidos com a câmera do celular e facilitar ainda mais os pagamentos. Seja vendedor de rua, um restaurante, e até para realizar pagamentos de conta de água ou de luz. 

Quanto vai custar?

O Pix será de graça para pessoas físicas, tanto para pagamentos, quanto recebimentos. Para pessoas jurídicas, ficará a cargo das instituições financeiras cobrar ou não alguma taxa, mas a tendência é que elas devem ser bem baixas devido a alta concorrência que se espera.

Lembrando que o Pix vai concorrer diretamente com transações via boleto, cartão de débito e crédito à vista. O que deve ajudar a reduzir o custo financeiro para todos.

Cuidados

Com a grande facilidade e rapidez para realizar pagamentos, também teremos que ter cuidado redobrado com golpistas. Não haverá limite para transação, a não ser o saldo e os limites da conta do remetente. Uma vez feita a transação através do Pix, não será possível mais desfazer, assim como um depósito bancário. Então, cuidado redobrado!


Conclusão

A tendência é que a maior parte da população adote o Pix. O sistema deve substituir grande parte das transferências via DOC e TED e também os pagamentos via boleto, cartão de débito e crédito a vista, principalmente nas compras online. Reduzindo o custo financeiro para as empresas, além de agilizar os processos internos.


Continue aprendendo

Nossas novidades

Ótimos conteúdos para você toda semana.

Conteúdos especialmente criados para facilitar seu dia a dia como empreendedor, que irá fazer sua empresa crescer.
Sem spam!
Conheça a Alloy