Finanças
08/2020

Gestão Financeira: 7 regras para gerir os custos de um pequeno negócio

Entender a saúde financeira do seu negócio é fundamental para mantê-lo vivo e crescer. Infelizmente, segundo o IBGE, 60% das empresas no Brasil fecham após 5 anos de atividade, muito porque não sabem nem ao certo se estão tendo lucro ou prejuízo. Elaboramos uma lista com algumas dicas básicas para entender melhor a sua realidade financeira.

  1. Não misture finanças pessoais com as da empresa

Um erro grave e infelizmente muito comum que a maioria dos empreendedores em início de atividade ainda cometem é não separar suas finanças pessoais das do seu CNPJ.

É importante definir exatamente qual é o investimento inicial que você fez ou vai fazer no seu projeto. Até para entender o custo de oportunidade e o retorno do investimento.

Custo de oportunidade significa entender quais as outras oportunidades em que você poderia usar o valor do investimento inicial e quanto elas poderiam dar de retorno em comparação com a sua empresa.

Retorno do investimento é saber projetar o seu lucro real com o negócio e em quanto tempo você terá o payback.

Defina um pró-labore fixo para você e seus sócios. Com certa de data de pagamento, como se fosse um colaborador.

Separe todos os custos operacionais da empresa dos seus custos pessoais, mesmo se a empresa funciona na sua casa. Por exemplo, o custo do aluguel: se a empresa utiliza 30% do espaço da sua casa, deve estar contabilizado no custo da empresa 30% do custo do aluguel, que será pago pela empresa. E assim por diante.


  1. Conheça os custos fixos da sua operação

Os custos fixos são todos os custos que se mantém estáveis independente da venda. Aluguel, condomínio, pró-labore,  salários, contabilidade, água, luz, telefone, serviços por assinatura, juros de financiamento, outros custos operacionais e de escritório.

Tendendo a se manter relativamente estáveis no curto prazo, cuidado, pois os custos fixos são a causa de falência de muitas empresas.

Grandes mudanças de local ou aumento da equipe de funcionários ocasionam um aumento súbito desses custos e devem ser muito bem pensados.


  1. Conheça o custo de cada um dos seus produtos

Todos os custos relacionados diretamente a confecção dos produtos, e que podem ser medidos individualmente são considerados custos variáveis: Matéria-prima, insumos, embalagens, impostos, taxas de cartão de crédito, taxas de outros serviços que incidem sobre a venda.

Calcule muito bem o custo total de todos os seus produtos individualmente, não esqueça nada, só assim você vai saber se está ganhando ou perdendo e se vale a pena ou não insistir em algum deles.


  1. Tenha uma estratégia de preços

Sua política de preços deve sempre estar baseada na sua concorrência e no valor percebido que o cliente tem do seu produto. Mas conhecer os custos é fundamental para entender a sua margem de lucro e seus produtos mais rentáveis.

Com esses dados claros, fica mais fácil definir estratégias de marketing, como em qual produto vale mais a pena concentrar seus esforços de venda, ou então até onde você pode dar algum desconto ou fazer uma promoção para aumentar o giro ou atrair novos clientes sem perder tanta margem.

  1. Calcule seu ponto de equilíbrio financeiro

O ponto de equilíbrio nada mais é do que o momento em que a margem de lucro bruta proveniente das vendas, ou seja, o resultado total de um período, se iguala ao custo de operação, significando assim que a empresa empatou, não deu lucro nem prejuízo.

É preciso projetar bem seus custos, conhecer suas margens de lucro, para então projetar o quanto você precisa faturar no mínimo para pagar todos os seus custos fixos.

  1. Estipule metas de venda baseadas nos seus objetivos financeiros

A gestão de custos por si só não pode salvar a sua empresa. Vendas e marketing têm um papel mais importante nisso, mas como você viu até aqui ela é fundamental para entender a realidade do negócio e desenvolver um planejamento baseado nos objetivos a atingir.

Se quiser saber mais, nosso blog está cheio de conteúdos relacionados à vendas e marketing. Sugerimos nosso artigo sobre Marketing de Relacionamento ou então uma lista de dicas para vender mais utilizando o WhatsApp.

  1. Sempre reinvista parte do lucro

Os momentos em que a operação está mais rentável devem ser usados para trazer melhorias para a empresa. Continuar crescendo e se diferenciando dos seus concorrentes é fundamental para permanecer no mercado, e para isso é necessário investimento contínuo.

Não deixe um momento ruim chegar para se reinventar. Implemente mudanças e melhorias hoje!

Continue aprendendo

Nossas novidades

Ótimos conteúdos para você toda semana.

Conteúdos especialmente criados para facilitar seu dia a dia como empreendedor, que irá fazer sua empresa crescer.
Sem spam!
Conheça a Alloy